Togo o incendiário

Na minha época de Varig nosso conhecido e querido amigo Togo Cunha era soldado da Força Aérea, e atendia o correio aéreo nacional, no aeroporto.


Como o movimento deles era esporadico, passavam o dia inteiro aprontando alguma.


Uma das que ele mais gostava de aprontar era colocar fogo no balcão


Os balcões das cias eram integrados, de mármora e as funcionárias da limpeza passavam álcool para limpá-los.


Nada mais fácil para o "incendiário" do que encostar um fósforo aceso numa ponta e ver o balcão inteiro pegar fogo.


Gostava também de "acender" o jornal de um velho despachante de Táxi Aéreo, que costumava cochilar com o jornal aberto.


Mas devo lembrar crianças 'NÃO FAÇAM ISSO EM CASA".


Abraços do Diniz